Como funciona o Sisu?

O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é um sistema informatizado, administrado pelo MEC, no qual candidatos do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) podem disputar, sem nenhuma taxa extra e pelo próprio computador, uma vaga em uma das diversas universidades públicas que adotaram o exame em seu processo seletivo. A lista de universidades participantes pode ser acessada no site: Universidades participantes.

É importante lembrar que apenas candidatos que não zeraram a redação podem concorrer a essas vagas e que algumas universidades e cursos exigem uma nota mínima para se inscrever (essa nota não é a nota de corte, é uma nota mínima exigida em algumas opções para o candidato concorrer a suas vagas.

Por exemplo, se uma opção determina que a nota mínima é 550, apenas candidatos com nota acima de 550 conseguem se inscrever nessa opção. Como apenas candidatos com nota maior que a nota mínima conseguem se inscrever, a nota de corte é sempre maior ou igual a nota mínima da opção).

Candidatos que zeraram a redação não podem concorrer a nenhuma opção no Sisu, enquanto a nota mínima é válida apenas para algumas opções. Pessoas que já participaram de edições anteriores do Sisu, mesmo que convocadase pessoas que cursam ou já cursaram ensino superior também podem concorrer ao Sisu (porém não é possível estar matriculado em duas universidades públicas ao mesmo tempo, ou seja, caso você esteja matriculado em uma universidade pública e consiga uma vaga pelo Sisu, terá de abrir mão do curso atual para matricular-se no da vaga obtida, ou continuar na universidade em que você está e abandonar a vaga obtida).

Para participar você deve ter realizado a prova do Enem e se inscrever no site: inscrição Enem, dentro do período determinado, geralmente logo após a divulgação dos resultados do Enem em janeiro. A inscrição é feita com o número de inscrição e a senha do Enem do referido ano. Caso não lembre sua senha é possível recuperá-la no site: recuperar senha Enem.

Durante a inscrição é precisodefinir se deseja concorrer às vagas reservadas para políticas afirmativas e̷ ou como candidato sujeito a bônus em algumas opções (outra forma de política afirmativa). Todas as instituições participantes tem metade de suas vagas reservadas para estudantes que cursaram o Ensino Médio em escolas públicas (segundo a Lei de Cotas). Algumas instituições disponibilizam também outra parte de suas vagas para políticas afirmativas próprias.

Dessa forma, pode haver três modalidades de concorrência no Sisu: vagas de ampla concorrência, vagas reservadas segundo a Lei de Cotas e vagas destinadas às demais políticas afirmativas da instituição. Você deve analisar no momento da inscrição qual opção condiz com o seu perfil, e, caso mais de um grupo se enquadre no seu perfil, em qual deles você irá querer concorrer. É importante ressaltar que o Sisu permite que todos se inscrevam em qualquer uma das modalidades, porém, durante a matrícula na instituição será necessária documentação comprovando o perfil do candidato. Ou seja, você pode concorrer para vagas reservadas para estudantes que cursaram o Ensino Médio em escolas públicas, tendo cursado ou não em uma. Mas, na hora da matrícula, é preciso levar a documentação exigida pela universidade para comprovar que de fato você preenche esse requisito. Caso o candidato não preencha o requisito da política afirmativa, sua vaga é perdida, mesmo que ele tivesse nota para entrar pela modalidade de ampla concorrência (uma vez que ele não se inscreveu para concorrer nela). Logo é de sua responsabilidade checar que você de fato atende os requisitos para concorrer em certa modalidade. Também é importante lembrar que as vagas reservadas pela lei de Cotas não envolvem estudantes que cursaram o Ensino Médio em escolas particulares com bolsa ou em escolas mantidas por entidades, mesmo que gratuitas.

Dentre as vagas reservadas para os estudantes de escolas públicas, metade (25% das vagas totais de cada curso) será reservada para aqueles que além de terem estudado o ensino médio em escolas públicas também tenham a renda familiar per capta igual ou menor a 1,5 salário mínimo.

Caso sua família tenha renda menor que 1,5 salário mínimo e você queira concorrer dentro dessa opção de cota, preste muita atenção na documentação necessária para comprovar a renda! É fundamental levar a documentação correta para comprovar a renda, e a falta dos documentos certos podem causar perda da vaga. Também são reservadas vagas para autodeclarados pretos, pardos e indígenas, em uma proporção igual a da população (segundo o último censo do IBGE) no estado onde a instituição se localiza.

Ou seja, se metade da população daquele estado for preta ou parda, por exemplo, metade das vagas serão reservadas para esse grupo populacional.

Outras instituições também conferem um bônus na nota dos candidatos que se encaixem nas categorias de suas políticas afirmativas. Por exemplo, se você se encaixar em algum critério determinado pela universidade, esta pode aumentar percentualmente sua nota como uma forma de política afirmativa. Nesses casos, os candidatos com bônus concorrem na modalidade de ampla concorrência, porém com a nota acrescida de uma pontuação extra.

Após essa etapa, é preciso escolher duas opções dentre os diversos cursos e universidades, por ordem de preferência. É possível trocar de opções enquanto o período de inscrições estiver aberto. Cada curso e/ou universidade pode priorizar algumas matérias, dando um peso maior na nota final (por exemplo: um curso de Letras pode dar mais peso à nota de Linguagem, Códigos e suas Tecnologias), por isso sua nota pode aparecer mais alta em certas opções quando comparada a outras.

O sistema então forma uma espécie de fila utilizando as notas dos candidatos, ordenando da mais alta até a mais baixa. É dessa forma que é determinada a nota de corte. Se forem oferecidas 20 vagas para uma determinada opção, por exemplo, o sistema determinará que as 20 primeiras pessoas nessa filaconseguiram suas vagas e coloca como nota de corte a nota do vigésimo candidato nessa fila. Durante o período de inscrições, é gerada uma prévia das notas de cortes, utilizando as pessoas que estão marcadas naquela opção naquele dia. Essa prévia pode mudar bastante, pois é possível mudar de opção, alterando a fila. Além dessa prévia da nota de corte, também é liberada uma vez por dia a sua posição na fila da opção escolhida, que também varia conforme as mudanças de opção dos candidatos. Apesar de não serem constantes, essas prévias podem ser úteis para analisar as opções e decidir, entre as opções que mais te agradam, as duas que tiver mais chances. Por isso, lembre-se sempre de avaliar as opções de universidades e cursos que você quer em todos os dias que o SiSU estiver aberto. Cada dia irá sair uma nota de corte diferente com a sua classificação dentro do curso que você estava concorrendo no dia anterior.

Ao final da etapa de inscrições, o sistema não permite mais a troca de opções e as filas de candidatos em cada opção não se altera mais. Para aquele curso com 20 vagas do exemplo seriam selecionados os vinte primeiros candidatos da lista do momento em que as inscrições acabaram, aqueles 20 com as notas mais altas. A nota do último candidato a ser aprovado é divulgada como norte de corte para aquela opção. Também é disponibilizada a sua classificação final, sua posição na fila de candidatos concorrendo para aquela opção.

É realizada uma única chamada para a matrícula. Os candidatos que foram selecionados tem um prazo para efetuar a matrícula na universidade escolhida, para garantir a ocupação da vaga. Se você foi selecionado em sua primeira opção (lembre-se que você pode se inscrever em duas opções), essa é sua única oportunidade para efetuar sua matrícula, pois você para de concorrer a sua segunda opção. Portanto, é muito importante ficar atento aos prazos, mesmo que não tenham se matriculado, candidatos selecionados em primeira opção não serão selecionados novamente. Caso você tenha sido selecionado em sua segunda opção, efetuando ou não matrícula, você pode optar ou não para continuar concorrendo na lista de espera para sua primeira opção.

Após essa chamada única, o Sisu disponibiliza às universidades participantes uma lista de espera a ser utilizada prioritariamente para preencher as vagas eventualmente não ocupadas. Para participar dessa lista de espera, o candidato deve acessar a pagina do Sisu e manifestar interesse no prazo especificado no cronograma. Podem participar da lista de espera os candidatos que não foram selecionados em nenhuma opção ou que foram selecionados apenas em sua segunda opção, independente de terem efetuado sua matrícula nessa opção.

Essa participação na lista de espera, porém, só poderá ser feita na sua primeira opção, mesmo que você não tenha sido selecionado para nenhuma das opções. As listas seguintes, se houverem, são feitas pelas instituições e não mais pelo Sisu. Nessa etapa é importante o candidato acompanhe junto a universidade para qual está concorrendo na lista de espera as convocações para matrícula. A universidade irá realizar as outras chamadas de alunos até completar as vagas dos seus cursos, sendo essas chamadas divulgadas geralmente nos sites das próprias universidades. Fique atento!